Sábado, 20 de Outubro de 2007

Rio de Moinhos Resenha Historica

Rio de Moinhos Resenha Histórica
                                                                  
Em Portugal continental há 6 freguesias de nome Rio de Moinhos e estão situadas exactamente nos concelhos de Abrantes, Aljustrel, Borba, Penafiel, Sátão e Arcos de Valdevez,
 É desta ultima que vamos falar  
E começamos por dizer que não há dúvida que a fundação da vila de Arcos de Valdevez que é o concelho desta freguesia é muito anterior à monarquia lusitana, pois dizem alguns autores que por muito tempo usou e foi conhecida sob a denominação de vila Vale de Vez, e esta freguesia de Santa Vaia de Rio de Moinhos vem o confirmar pois já se encontram referencias dela com data do ano de 1066 ou seja a quase 950 anos
Santa Eulália de Rio de Moinhos
 É paroquia muito antiga, pois a primeira referencia desta freguesia remonta ao ano de 1066 como a traz referimos e o documenta a toponímia dos seus lugares e o seu próprio Orago Santa Eulália,
 esta freguesia de Rio de Moinhos está documentada como sendo uma das paróquias iniciais do julgado medieval do Vale de Vez.
Os viscondes de Vila Nova de Cerveira apresentavam o abade desta freguesia de Santa Vaia.
A freguesia de Rio de Moinhos localiza-se a 7 quilómetros para norte do concelho
 Ela é atravessada a nascente da sua área pela estrada Real N°1 que hoje è identificada pela nacional 101 e que faz a ligação entre a Província do Minho e a do Douro mais exactamente desde a Vila de Monção a Vila de Mesão-Frio com passagem por Arcos de Valdevez, Braga, Guimarães, Amarante e terminar então em Mesão Frio muito perto da vila do Peso da Régua junto ao Rio Douro.
Santa Eulália de Rio de Moinhos tem como vizinhas as freguesias de Senharei, Águia, Rio Frio, Sabadim, e S. Cosme S. Damião esta separada pelo Rio Vez
 Rio de Moinhos confina ao Norte com a freguesia de Sabadim
 Ao Sul com Águia e Rio Frio
Pelo poente com a freguesia de Senharei
Pelo nascente com São Cosme e S. Damião mas separada pelo Rio Vez.
  Rio de Moinhos é algo acidentada, e as principais elevações da sua área são os montes de Penandorinha, Monte da Carapuça, Monte da Ermida, Vale das Lages e Outeiro.
 É freguesia muito rica em nascentes de águas e que por tal formam um pequeno regato chamado rio do Moinho ele desagua no Rio Vez no sitio chamado ôla em fundões
 A principal actividade económica desta freguesia é a agricultura, e pequena industria e comercio
De relembrar que esta freguesia em tempos transactos teve muitas pessoas de vários ofícios tais como tamanqueiros, cesteiros, carpinteiros, e coleteiras, estas senhoras que faziam estes coletes e se destinavam as mulheres eram confeccionados aqui nesta freguesia pela Senhora Emília de Brito manualmente e depois por suas duas filhas Natália e Jenarosa de Brito já falecidas há cerca de vinte anos  depois não ouve quem continua-se este tipo de trabalho, podemos aqui adiantar que hoje quem possui estes coletes tem verdadeiras obras de arte, sobre tudo aqueles que eram feitos em tecido de veludo e bordados com fio de algodão de varias cores e desenhos manuais feitos do mesmo algodão e ainda vários brilhantes chamados de alentejolas e missangas que faziam das dançadeiras dos grupos folclóricos do Alto Minho verdadeiras Rainhas 
Também ainda no ano de 1970 havia no lugar de Rebelo e Aldeia vinte e cinco a trinta tecedeiras que aproveitavam farrapos e faziam belíssimas mantas e com o algodão trabalhavam diversas obras dárte  hoje apenas existem umas duas ou três,
 Também no lugar da vinha nova na quinta da Cruz houve uma carpintaria que era do mestre dos mestres que cuja especialidade era trabalhar e tornear a madeira para fazer santos sobre tudo para embelezar os altares das igrejas do alto Minho esta carpintaria funcionou quase como uma escola pois vinham de varias freguesias vizinhas jovens aprender esta arte.
Falando agora sobre a população desta freguesia
em 1758 tinha esta paroquia de Santa Vaia 160 fogos e 400 Habitantes
mais tarde em 1890 tinha 181 fogos e 663 habitantes sendo destes 288 homens e 375 mulheres
 Eram solteiros 170 homens e 243 mulheres
Havia 100 homens casados e 109 mulheres,
 Eram viúvos 18 homens e 23 mulheres
Sabiam ler 169 homens e 5 mulheres
A sua população actual é de cerca de 500 habitantes, repartidos por 145 núcleos familiares e 330 edifícios.
 Rio de Moinhos tem uma área total de 3,6 Km2 a sua densidade populacional é de 138,9 habitantes ao /Km2
Lugares       
Compõe esta freguesia os seguintes lugares, Cem, Reboreda, Soutelo, Breia, Masdão, Reduto, Calçada, Coto, Vinha Nova, Rebelo, Aldeia, Cruz, Nogueira, Pousada, Torre, Barreiros, Riba Nogueira, Chedas, Souto, Pedregais, Calvelo, Marzão, Bouça e Gondiào. Este lugar de Gondião pertence agora a freguesia de Rio Frio
A Igreja
Esta Igreja de Rio de Moinhos faz parte de uma raridade de Igrejas que tem a sua frontaria virada a Nordeste
 È um curioso exemplar que datara provavelmente dos fins do século XVII princípios do século XVIII.
A frontaria de remate è muito recortada, e ostenta um pórtico de certas pretensões.
Sobrepujam-no uma janela circular e mais acima, um nicho contendo a imagem de Santa Eulália que é a padroeira da freguesia e está enquadrada por um dossel e cortinas talhados em granito.
Esta Igreja de Rio de Moinhos pode-se quase chamar um templo, è muito elegante e è em forma de Cruz Latina
 Diz-se que só existe mais uma idêntica na Europa e estará situada em Itália mais exactamente em Roma,
Esta Igreja encontra-se muito asseada o que mostra muito zelo da parte dos seus habitantes
Ela tem Altar – Mor quatro altares laterais e uma capela dedicada ao Sr. dos Passos que diz-se ter sido mandada fazer por uns frades.
Os altares desta igreja são todos de talha antiga.
O zimbório foi restaurado em 1895.
Na capela-mor há dos lados quatro telas do século XVIII representando o julgamento e o martírio da Padroeira da Igreja Santa Eulália, e ainda os apóstolos S. Pedro e S. Paulo.
 sobre a porta principal encontram-se os brasões dos Viscondes de Vila Nova de Cerveira que foram os padroeiros desta freguesia.
Tem igualmente um coro situado por cima da entrada principal, e o pavimento do coro é revestido pelo lado debaixo de talha com pinturas alegóricas, tudo feito á custa de Domingos de Barros um habitante do lugar de Reboreda.
Os púlpitos da Igreja são dois, um de cada lado no corpo da Igreja em granito,
 Esteve nesta Igreja erecta apenas uma confraria que foi a do Santíssimo, esta tinha boas alfaias pertencentes á Igreja,
 Há igualmente uma custodia com pedrarias finas e com cruz de muito valor,
Tem imagens de grande relevo na igreja
Tem igualmente dois lustres que foram oferecidos pelo Pároco Reverendo Bernardino Pontes no fim do século XVIII estes de grande valor (estes lustres foram retirados da Igreja e substituídos por outros em 2005)
A virgem de Nossa Senhora das Dores que existe na igreja é origem de muita devoção e oração, e nos dias de festa que è efectuada no segundo domingo de Agosto vestiam-lhe um manto de seda bordado que custou 400 mil reis.
Também no ano de 1883 foram vendidos bens do passal no valor de 284 mil reis
Esta Igreja tem na sua torre quatro sinos cujas datas são as seguintes
O que está situado a Nascente e mais conhecido por sino novo tem data de 1929. E tem gravadas as inscrições da Padroeira desta freguesia Santa Eulália
 O que se situa a poente è o mais antigo e foi oferecido pelo abade Manuel de Santa Maria Amorim no ano de 1798. Este sino tem gravadas IHS – Maria Abade Santa marta
O que se situa para sul data de 1869 e tem uma inscrição gravada na parte exterior IHS Maria Jozè
E o mais pequeno conhecido por sineta tem data de 1863 e esta situado a Norte e tem as mesmas letras que o anterior
Também os benefícios simples desta freguesia de Rio de Moinhos pertenciam em 1725 a D. Rodrigo de Noronha que os trazia arrendados
 As festas e romarias desta freguesia são a Senhora das Dores no segundo Domingo de Agosto, S. Cipriano no primeiro domingo de Outubro,  agora efectuada no ultimo Domingo de Agosto, Santo Amaro a 15 de Janeiro, Santa Eulália em Dezembro e festa das almas, e do Senhor.
Rio de Moinhos Resenha Histórica
                                                                  
Em Portugal continental há 6 freguesias de nome Rio de Moinhos e estão situadas exactamente nos concelhos de Abrantes, Aljustrel, Borba, Penafiel, Sátão e Arcos de Valdevez,
 É desta ultima que vamos falar  
E começamos por dizer que não há dúvida que a fundação da vila de Arcos de Valdevez que é o concelho desta freguesia é muito anterior à monarquia lusitana, pois dizem alguns autores que por muito tempo usou e foi conhecida sob a denominação de vila Vale de Vez, e esta freguesia de Santa Vaia de Rio de Moinhos vem o confirmar pois já se encontram referencias dela com data do ano de 1066 ou seja a quase 950 anos
Santa Eulália de Rio de Moinhos
 É paroquia muito antiga, pois a primeira referencia desta freguesia remonta ao ano de 1066 como a traz referimos e o documenta a toponímia dos seus lugares e o seu próprio Orago Santa Eulália,
 esta freguesia de Rio de Moinhos está documentada como sendo uma das paróquias iniciais do julgado medieval do Vale de Vez.
Os viscondes de Vila Nova de Cerveira apresentavam o abade desta freguesia de Santa Vaia.
A freguesia de Rio de Moinhos localiza-se a 7 quilómetros para norte do concelho
 Ela é atravessada a nascente da sua área pela estrada Real N°1 que hoje è identificada pela nacional 101 e que faz a ligação entre a Província do Minho e a do Douro mais exactamente desde a Vila de Monção a Vila de Mesão-Frio com passagem por Arcos de Valdevez, Braga, Guimarães, Amarante e terminar então em Mesão Frio muito perto da vila do Peso da Régua junto ao Rio Douro.
Santa Eulália de Rio de Moinhos tem como vizinhas as freguesias de Senharei, Águia, Rio Frio, Sabadim, e S. Cosme S. Damião esta separada pelo Rio Vez
 Rio de Moinhos confina ao Norte com a freguesia de Sabadim
 Ao Sul com Águia e Rio Frio
Pelo poente com a freguesia de Senharei
Pelo nascente com São Cosme e S. Damião mas separada pelo Rio Vez.
  Rio de Moinhos é algo acidentada, e as principais elevações da sua área são os montes de Penandorinha, Monte da Carapuça, Monte da Ermida, Vale das Lages e Outeiro.
 É freguesia muito rica em nascentes de águas e que por tal formam um pequeno regato chamado rio do Moinho ele desagua no Rio Vez no sitio chamado ôla em fundões
 A principal actividade económica desta freguesia é a agricultura, e pequena industria e comercio
De relembrar que esta freguesia em tempos transactos teve muitas pessoas de vários ofícios tais como tamanqueiros, cesteiros, carpinteiros, e coleteiras, estas senhoras que faziam estes coletes e se destinavam as mulheres eram confeccionados aqui nesta freguesia pela Senhora Emília de Brito manualmente e depois por suas duas filhas Natália e Jenarosa de Brito já falecidas há cerca de vinte anos  depois não ouve quem continua-se este tipo de trabalho, podemos aqui adiantar que hoje quem possui estes coletes tem verdadeiras obras de arte, sobre tudo aqueles que eram feitos em tecido de veludo e bordados com fio de algodão de varias cores e desenhos manuais feitos do mesmo algodão e ainda vários brilhantes chamados de alentejolas e missangas que faziam das dançadeiras dos grupos folclóricos do Alto Minho verdadeiras Rainhas 
Também ainda no ano de 1970 havia no lugar de Rebelo e Aldeia vinte e cinco a trinta tecedeiras que aproveitavam farrapos e faziam belíssimas mantas e com o algodão trabalhavam diversas obras dárte  hoje apenas existem umas duas ou três,
 Também no lugar da vinha nova na quinta da Cruz houve uma carpintaria que era do mestre dos mestres que cuja especialidade era trabalhar e tornear a madeira para fazer santos sobre tudo para embelezar os altares das igrejas do alto Minho esta carpintaria funcionou quase como uma escola pois vinham de varias freguesias vizinhas jovens aprender esta arte.
Falando agora sobre a população desta freguesia
em 1758 tinha esta paroquia de Santa Vaia 160 fogos e 400 Habitantes
mais tarde em 1890 tinha 181 fogos e 663 habitantes sendo destes 288 homens e 375 mulheres
 Eram solteiros 170 homens e 243 mulheres
Havia 100 homens casados e 109 mulheres,
 Eram viúvos 18 homens e 23 mulheres
Sabiam ler 169 homens e 5 mulheres
A sua população actual é de cerca de 500 habitantes, repartidos por 145 núcleos familiares e 330 edifícios.
 Rio de Moinhos tem uma área total de 3,6 Km2 a sua densidade populacional é de 138,9 habitantes ao /Km2
Lugares       
Compõe esta freguesia os seguintes lugares, Cem, Reboreda, Soutelo, Breia, Masdão, Reduto, Calçada, Coto, Vinha Nova, Rebelo, Aldeia, Cruz, Nogueira, Pousada, Torre, Barreiros, Riba Nogueira, Chedas, Souto, Pedregais, Calvelo, Marzão, Bouça e Gondiào. Este lugar de Gondião pertence agora a freguesia de Rio Frio
A Igreja
Esta Igreja de Rio de Moinhos faz parte de uma raridade de Igrejas que tem a sua frontaria virada a Nordeste
 È um curioso exemplar que datara provavelmente dos fins do século XVII princípios do século XVIII.
A frontaria de remate è muito recortada, e ostenta um pórtico de certas pretensões.
Sobrepujam-no uma janela circular e mais acima, um nicho contendo a imagem de Santa Eulália que é a padroeira da freguesia e está enquadrada por um dossel e cortinas talhados em granito.
Esta Igreja de Rio de Moinhos pode-se quase chamar um templo, è muito elegante e è em forma de Cruz Latina
 Diz-se que só existe mais uma idêntica na Europa e estará situada em Itália mais exactamente em Roma,
Esta Igreja encontra-se muito asseada o que mostra muito zelo da parte dos seus habitantes
Ela tem Altar – Mor quatro altares laterais e uma capela dedicada ao Sr. dos Passos que diz-se ter sido mandada fazer por uns frades.
Os altares desta igreja são todos de talha antiga.
O zimbório foi restaurado em 1895.
Na capela-mor há dos lados quatro telas do século XVIII representando o julgamento e o martírio da Padroeira da Igreja Santa Eulália, e ainda os apóstolos S. Pedro e S. Paulo.
 sobre a porta principal encontram-se os brasões dos Viscondes de Vila Nova de Cerveira que foram os padroeiros desta freguesia.
Tem igualmente um coro situado por cima da entrada principal, e o pavimento do coro é revestido pelo lado debaixo de talha com pinturas alegóricas, tudo feito á custa de Domingos de Barros um habitante do lugar de Reboreda.
Os púlpitos da Igreja são dois, um de cada lado no corpo da Igreja em granito,
 Esteve nesta Igreja erecta apenas uma confraria que foi a do Santíssimo, esta tinha boas alfaias pertencentes á Igreja,
 Há igualmente uma custodia com pedrarias finas e com cruz de muito valor,
Tem imagens de grande relevo na igreja
Tem igualmente dois lustres que foram oferecidos pelo Pároco Reverendo Bernardino Pontes no fim do século XVIII estes de grande valor (estes lustres foram retirados da Igreja e substituídos por outros em 2005)
A virgem de Nossa Senhora das Dores que existe na igreja é origem de muita devoção e oração, e nos dias de festa que è efectuada no segundo domingo de Agosto vestiam-lhe um manto de seda bordado que custou 400 mil reis.
Também no ano de 1883 foram vendidos bens do passal no valor de 284 mil reis
Esta Igreja tem na sua torre quatro sinos cujas datas são as seguintes
O que está situado a Nascente e mais conhecido por sino novo tem data de 1929. E tem gravadas as inscrições da Padroeira desta freguesia Santa Eulália
 O que se situa a poente è o mais antigo e foi oferecido pelo abade Manuel de Santa Maria Amorim no ano de 1798. Este sino tem gravadas IHS – Maria Abade Santa marta
O que se situa para sul data de 1869 e tem uma inscrição gravada na parte exterior IHS Maria Jozè
E o mais pequeno conhecido por sineta tem data de 1863 e esta situado a Norte e tem as mesmas letras que o anterior
Também os benefícios simples desta freguesia de Rio de Moinhos pertenciam em 1725 a D. Rodrigo de Noronha que os trazia arrendados
 As festas e romarias desta freguesia são a Senhora das Dores no segundo Domingo de Agosto, S. Cipriano no primeiro domingo de Outubro,  agora efectuada no ultimo Domingo de Agosto, Santo Amaro a 15 de Janeiro, Santa Eulália em Dezembro e festa das almas, e do Senhor.
Rio de Moinhos Resenha Histórica
                                                                  
Em Portugal continental há 6 freguesias de nome Rio de Moinhos e estão situadas exactamente nos concelhos de Abrantes, Aljustrel, Borba, Penafiel, Sátão e Arcos de Valdevez,
 É desta ultima que vamos falar  
E começamos por dizer que não há dúvida que a fundação da vila de Arcos de Valdevez que é o concelho desta freguesia é muito anterior à monarquia lusitana, pois dizem alguns autores que por muito tempo usou e foi conhecida sob a denominação de vila Vale de Vez, e esta freguesia de Santa Vaia de Rio de Moinhos vem o confirmar pois já se encontram referencias dela com data do ano de 1066 ou seja a quase 950 anos
Santa Eulália de Rio de Moinhos
 É paroquia muito antiga, pois a primeira referencia desta freguesia remonta ao ano de 1066 como a traz referimos e o documenta a toponímia dos seus lugares e o seu próprio Orago Santa Eulália,
 esta freguesia de Rio de Moinhos está documentada como sendo uma das paróquias iniciais do julgado medieval do Vale de Vez.
Os viscondes de Vila Nova de Cerveira apresentavam o abade desta freguesia de Santa Vaia.
A freguesia de Rio de Moinhos localiza-se a 7 quilómetros para norte do concelho
 Ela é atravessada a nascente da sua área pela estrada Real N°1 que hoje è identificada pela nacional 101 e que faz a ligação entre a Província do Minho e a do Douro mais exactamente desde a Vila de Monção a Vila de Mesão-Frio com passagem por Arcos de Valdevez, Braga, Guimarães, Amarante e terminar então em Mesão Frio muito perto da vila do Peso da Régua junto ao Rio Douro.
Santa Eulália de Rio de Moinhos tem como vizinhas as freguesias de Senharei, Águia, Rio Frio, Sabadim, e S. Cosme S. Damião esta separada pelo Rio Vez
 Rio de Moinhos confina ao Norte com a freguesia de Sabadim
 Ao Sul com Águia e Rio Frio
Pelo poente com a freguesia de Senharei
Pelo nascente com São Cosme e S. Damião mas separada pelo Rio Vez.
  Rio de Moinhos é algo acidentada, e as principais elevações da sua área são os montes de Penandorinha, Monte da Carapuça, Monte da Ermida, Vale das Lages e Outeiro.
 É freguesia muito rica em nascentes de águas e que por tal formam um pequeno regato chamado rio do Moinho ele desagua no Rio Vez no sitio chamado ôla em fundões
 A principal actividade económica desta freguesia é a agricultura, e pequena industria e comercio
De relembrar que esta freguesia em tempos transactos teve muitas pessoas de vários ofícios tais como tamanqueiros, cesteiros, carpinteiros, e coleteiras, estas senhoras que faziam estes coletes e se destinavam as mulheres eram confeccionados aqui nesta freguesia pela Senhora Emília de Brito manualmente e depois por suas duas filhas Natália e Jenarosa de Brito já falecidas há cerca de vinte anos  depois não ouve quem continua-se este tipo de trabalho, podemos aqui adiantar que hoje quem possui estes coletes tem verdadeiras obras de arte, sobre tudo aqueles que eram feitos em tecido de veludo e bordados com fio de algodão de varias cores e desenhos manuais feitos do mesmo algodão e ainda vários brilhantes chamados de alentejolas e missangas que faziam das dançadeiras dos grupos folclóricos do Alto Minho verdadeiras Rainhas 
Também ainda no ano de 1970 havia no lugar de Rebelo e Aldeia vinte e cinco a trinta tecedeiras que aproveitavam farrapos e faziam belíssimas mantas e com o algodão trabalhavam diversas obras dárte  hoje apenas existem umas duas ou três,
 Também no lugar da vinha nova na quinta da Cruz houve uma carpintaria que era do mestre dos mestres que cuja especialidade era trabalhar e tornear a madeira para fazer santos sobre tudo para embelezar os altares das igrejas do alto Minho esta carpintaria funcionou quase como uma escola pois vinham de varias freguesias vizinhas jovens aprender esta arte.
Falando agora sobre a população desta freguesia
em 1758 tinha esta paroquia de Santa Vaia 160 fogos e 400 Habitantes
mais tarde em 1890 tinha 181 fogos e 663 habitantes sendo destes 288 homens e 375 mulheres
 Eram solteiros 170 homens e 243 mulheres
Havia 100 homens casados e 109 mulheres,
 Eram viúvos 18 homens e 23 mulheres
Sabiam ler 169 homens e 5 mulheres
A sua população actual é de cerca de 500 habitantes, repartidos por 145 núcleos familiares e 330 edifícios.
 Rio de Moinhos tem uma área total de 3,6 Km2 a sua densidade populacional é de 138,9 habitantes ao /Km2
Lugares       
Compõe esta freguesia os seguintes lugares, Cem, Reboreda, Soutelo, Breia, Masdão, Reduto, Calçada, Coto, Vinha Nova, Rebelo, Aldeia, Cruz, Nogueira, Pousada, Torre, Barreiros, Riba Nogueira, Chedas, Souto, Pedregais, Calvelo, Marzão, Bouça e Gondiào. Este lugar de Gondião pertence agora a freguesia de Rio Frio
A Igreja
Esta Igreja de Rio de Moinhos faz parte de uma raridade de Igrejas que tem a sua frontaria virada a Nordeste
 È um curioso exemplar que datara provavelmente dos fins do século XVII princípios do século XVIII.
A frontaria de remate è muito recortada, e ostenta um pórtico de certas pretensões.
Sobrepujam-no uma janela circular e mais acima, um nicho contendo a imagem de Santa Eulália que é a padroeira da freguesia e está enquadrada por um dossel e cortinas talhados em granito.
Esta Igreja de Rio de Moinhos pode-se quase chamar um templo, è muito elegante e è em forma de Cruz Latina
 Diz-se que só existe mais uma idêntica na Europa e estará situada em Itália mais exactamente em Roma,
Esta Igreja encontra-se muito asseada o que mostra muito zelo da parte dos seus habitantes
Ela tem Altar – Mor quatro altares laterais e uma capela dedicada ao Sr. dos Passos que diz-se ter sido mandada fazer por uns frades.
Os altares desta igreja são todos de talha antiga.
O zimbório foi restaurado em 1895.
Na capela-mor há dos lados quatro telas do século XVIII representando o julgamento e o martírio da Padroeira da Igreja Santa Eulália, e ainda os apóstolos S. Pedro e S. Paulo.
 sobre a porta principal encontram-se os brasões dos Viscondes de Vila Nova de Cerveira que foram os padroeiros desta freguesia.
Tem igualmente um coro situado por cima da entrada principal, e o pavimento do coro é revestido pelo lado debaixo de talha com pinturas alegóricas, tudo feito á custa de Domingos de Barros um habitante do lugar de Reboreda.
Os púlpitos da Igreja são dois, um de cada lado no corpo da Igreja em granito,
 Esteve nesta Igreja erecta apenas uma confraria que foi a do Santíssimo, esta tinha boas alfaias pertencentes á Igreja,
 Há igualmente uma custodia com pedrarias finas e com cruz de muito valor,
Tem imagens de grande relevo na igreja
Tem igualmente dois lustres que foram oferecidos pelo Pároco Reverendo Bernardino Pontes no fim do século XVIII estes de grande valor (estes lustres foram retirados da Igreja e substituídos por outros em 2005)
A virgem de Nossa Senhora das Dores que existe na igreja é origem de muita devoção e oração, e nos dias de festa que è efectuada no segundo domingo de Agosto vestiam-lhe um manto de seda bordado que custou 400 mil reis.
Também no ano de 1883 foram vendidos bens do passal no valor de 284 mil reis
Esta Igreja tem na sua torre quatro sinos cujas datas são as seguintes
O que está situado a Nascente e mais conhecido por sino novo tem data de 1929. E tem gravadas as inscrições da Padroeira desta freguesia Santa Eulália
 O que se situa a poente è o mais antigo e foi oferecido pelo abade Manuel de Santa Maria Amorim no ano de 1798. Este sino tem gravadas IHS – Maria Abade Santa marta
O que se situa para sul data de 1869 e tem uma inscrição gravada na parte exterior IHS Maria Jozè
E o mais pequeno conhecido por sineta tem data de 1863 e esta situado a Norte e tem as mesmas letras que o anterior
Também os benefícios simples desta freguesia de Rio de Moinhos pertenciam em 1725 a D. Rodrigo de Noronha que os trazia arrendados
 As festas e romarias desta freguesia são a Senhora das Dores no segundo Domingo de Agosto, S. Cipriano no primeiro domingo de Outubro,  agora efectuada no ultimo Domingo de Agosto, Santo Amaro a 15 de Janeiro, Santa Eulália em Dezembro e festa das almas, e do Senhor.
publicado por minhaterralindaldeia às 15:14
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Resenha Histórica de Azer...

. Resenha Historica de Arco...

. Resenha Historica de Arco...

. Resenha Histórica de Alvo...

. Resenha Historica de Agui...

. Resenha Historica de Aboi...

. Rio de Moinhos Junta de F...

. Rio de Moinhos Resenha Hi...

. Rio de Moinhos Resenha Hi...

. Rio de Moinhos Resenha Hi...

.arquivos

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds